E o Verbo fez-se carne

Meditando a Liturgia da Palavra da santa Missa do dia do Natal do Senhor, Ano C

A vida que estava em Deus nasceu entre nós, o amor de Deus fez-se dom e partilha. Alegremo-nos! O mistério do Natal celebra a eterna genealogia do Menino que nos nasceu. Jesus é o Verbo eterno do Pai, a Palavra incriada na qual se comunica. O Filho único que está no seio do Pai, fez-se entre nós a sua imagem e esplendor da sua glória. Por Ele tudo foi criado e por Ele tudo foi dito.

O Profeta Isaías, na primeira leitura, capítulo 52, versículos 7-10, convida os povos de toda a terra a esperar a salvação que o Messias nos oferece.

O Salmo Responsorial, salmo 97 (98) 1.2-3ab.4.5-6, exorta-nos a anunciar Jesus Cristo a todo o mundo. Só n’Ele a humanidade encontrará a paz.

A segunda leitura, tirada da Epístola aos Hebreus, capítulo 1, versículos 1-6, diz-nos que Deus continua a falar connosco através de Seu Filho Jesus. Cumpramos os seus ensinamentos. “Falou-nos por seu Filho” – refere a segunda leitura. O amor de Deus fez-se Palavra entre os homens, Palavra que diz e faz. Em Cristo tudo foi dito, porque Ele é o Verbo que esgota a divina essência e a exprime em sua Pessoa. Agora já não há outras mensagens, outros messias. Depois de tudo o que nos foi dito, não há mais nada a dizer. Cristo é a Palavra que o Pai nos deu, o diálogo de amor entre Deus e os homens. Nele temos o penhor da aliança definitiva e a garantia que nos assegura a vida eterna.

O início do Evangelho de S. João, capítulo 1, versículos 1-18, é proclamado nesta celebração. Jesus é a Luz do mundo. Jesus assumiu a condição humana e a minha existência concreta. “E o Verbo fez-se carne”. A maior prova de amor que Deus me deu, foi encarnar e parecer-se comigo. Tenho de fazer agora a minha parte, identificando-me com Ele, nos mesmos sentimentos e atitudes. Pela Encarnação chega à plenitude o projecto inicial de Deus, que nos criou à sua imagem e semelhança. Andavam no homem e em toda a criação sementes do Verbo, que frutificaram finalmente em Jesus Cristo. Pôs Deus nos homens tais exigências que só em Deus encarnado podiam obter resposta. O nome que só Deus sabia, anda agora de boca em boca. 

Ao assumir Deus a natureza humana, o homem transcendeu os seus limites e tornou-se consorte da natureza divina. O eterno inseriu-se no tempo e o infinito aconteceu, feito história dos homens. Agora tudo o que acontece tem inscrito o nome de Jesus e vai em sua busca a marcha da humanidade. A história do homem é história de Deus, unidos num mesmo projecto de glória e exaltação. O Menino que nos nasce, é a chave da história, que abre e fecha caminhos, a resposta de tudo o que passou ou há-de vir. A história é a Palavra de Deus encarnada, é Cristo que acontece pelos caminhos dos homens, feitos caminhos de Deus.

Em Belém um outro Cristo nasce: é a Igreja, seu Corpo Místico e cada um de nós, membros desse Corpo. Sou eu que tenho de renascer neste Natal de graça, completando o que falta ao nascimento de Cristo. “Como vai ser isso?” Pela fé e pelo amor como a Virgem Maria. Obedientes na fé, comungando no amor e vontade de Deus, encarna em nós Jesus Cristo. Por obra e graça do Espírito Santo, que vem sobre nós, nasce Jesus outra vez.

No Presépio de Belém, reclinada em pobreza e humildade, está a humanidade inteira, assumida na mesma carne do Filho de Deus, que nasceu. Agora cada um de nós tem de ser verbo encarnado, palavra e pão da vida. Como no Menino Jesus, transparece em todo o homem a perfeição de Deus.

Mas o berço do meu Natal está no coração dos outros. É lá que eu vou nascer, gémeo de todos os homens, meus irmãos, membros de um mesmo corpo. Aceitar, compreender, amar: são os três verbos da vida, gerando Cristo no coração dos homens. O meu Natal consiste em dar alegria e esperança, fazer os outros felizes

A Virgem Maria — que soube escutar atentamente a Palavra de Deus, que acolheu em si o Verbo de Deus, a Palavra viva e eterna do Pai — nos ensine a dá-Lo ao mundo que nos rodeia e que vive em tantos lugares ainda nas trevas do Velho ou de um novo paganismo.

Diácono António Figueiredo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s