A diferença que se sente, mas não se vê

Calçado para pessoas com deficiência

Quando nos é mencionada a expressão “pessoa com deficiência/incapacidade” as nossas mentes viajam imediatamente para pessoas em cadeiras de rodas, próteses no lugar de membros, bengalas e pistas visuais que nos permitem imediatamente identificar como é que essa pessoa se distingue de nós. Mas nem todas estas “diferenciações” são visíveis, e é quase impossível identificar exatamente em que grau é que estas se manifestam em cada individuo. Algumas, por exemplo, são o resultado de disfunções nervosas que levam ao mal funcionamento de certos membros ou funções corporais.
Em 2012, Matthew Walzer escreveu para a marca Nike, conhecida pelo seu equipamento desportivo, numa tentativa de os consciencializar para a sua história, e outras que tais: Matthew nasceu dois meses antes do tempo, com 7 meses, e pulmões extremamente subdesenvolvidos, o que levou ao desenvolvimento de paralisia cerebral (danos cerebrais), que levou vários médicos afirmar que Matthew nunca andaria na vida. Ao crescer, Matthew provou-lhes que estavam errados. Aos 16 anos consegue andar livremente quando em casa, e no exterior fá-lo apenas com o apoio duma muleta, os seus estudos correm lindamente e está já a começar a considerar faculdades. Contudo, algumas coisas simples ainda interferem com o seu desejo de se sentir como um adolescente livre e independente; uma dessas coisas são os seus sapatos. Apesar de se conseguir vestir sozinho, calçar-se ainda é algo que requer auxílio por parte dos seus pais. E foi nesse âmbito que Matthew escreveu à Nike.
A história de Matthew acabou por chegar a Hatfield, um designer cujo trabalho envolvia projetos das Special Olympics (organização internacional que apoia pessoas com deficiências intelectuais, e que realiza os Jogos Mundiais a cada dois anos). E assim começou o projeto de colaboração entre Hatfield e Walzer, que, 8 anos depois, levou ao lançamento do modelo que finalmente permitirá a Matthew calçar os seus próprios sapatos.
O modelo criado — GO FlyEase — permite aos seus utilizadores calçar e descalçar os ténis sem necessidade de intervenção manual. Duma maneira breve, os ténis permitem que, utilizando o outro pé, seja possível descalçar o primeiro, sem danificar o material, pois o calçado adapta-se perfeitamente a este movimento dobrando-se para facilitar a remoção.
Deste modo este modelo poderá não só impactar a vida de pessoas extremamente atarefadas, para quem o tempo não é prescindível nem para os mais pequenos atos rotineiros, mas também a de pessoas para quem esses atos representavam uma separação entre elas e o seu sentido de independência, para os quais uma ponte foi agora criada.

Nesta semana, as nossas intenções estejam com todos, cujas suas incapacidades não lhes permitem viver a vida que desejam, e por todos aqueles que lutam para concretizar esses desejos.

Teresa Cunha

artigo preparado por
Teresa Cunha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s